top of page

Shell propõe seis novos projetos eólicos offshore no Brasil

Na última semana, a Shell anunciou a abertura de procedimentos de licenciamento ambiental junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) para a implementação de seis projetos de geração de energia eólica offshore no Brasil. Com os parques eólicos instalados nos estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, a empresa se tornará a maior fornecedora energética do país, somando a capacidade instalada de 17 GW.

As propostas atendem às metas de descarbonização assumidas pela companhia. De acordo com a gerente de Geração Renovável da Shell no Brasil, Gabriela Oliveira, “com mais de 20 anos de atuação em energia eólica no mundo e mais de 50 anos de tradição em projetos offshore, a Shell pretende aliar sua expertise nestas duas frentes com o objetivo de fornecer mais energia e energia limpa para o país”.

Outras importantes empresas do setor, como a Petrobras e a Equinor, também apresentaram iniciativas vultosas para o desenvolvimento eólico offshore em águas brasileiras. No entanto, todas elas ainda aguardam a finalização da regulamentação dessa matriz energética pelo Governo.

Tais movimentações acontecem em boa hora para ratificar a importância da energia eólica, bem como de outras fontes sustentáveis, frente a dependência mundial de combustíveis fósseis. Nesse sentido, as restrições comerciais derivadas do conflito bélico entre Ucrânia e Rússia intensificam a crise energética das grandes economias do globo. Por isso se faz necessária a sedimentação do uso de fontes alternativas de energia: a substituição das matrizes energéticas ao redor do mundo reflete diretamente na redução dos efeitos das mudanças climáticas, na autonomia externa dos Estados e no controle dos preços de insumos.



Fonte: Agência EPBR

Por Ana Beatriz Junot Longhin


Comments


Posts Em Destaque
boletim antaq
bottom of page