OS NOVOS VELHOS OPERADORES DO DIREITO.

Enquanto partícipe da comunidade jurídica e interessado nos propósitos da existência humana, confesso que me intriga a forma como os novos operadores do direito continuam a dedicar um olhar “antigo” sobre o fenômeno jurídico Brasileiro.

Não produziremos resultados melhores do que os até aqui alcançados apenas repetindo comportamentos e antigos processos humanos.

Estou convencido que uma reforma profunda no sistema jurídico é necessária e isso é muito mais que a reforma de códigos, criação de processos eletrônicos e “despachos” via Skype.

Nada que depende de esforço coletivo é produtivo sem líderes e lideranças e acredito que a forma de acertar o alvo - fenômeno jurídico brasileiro – é primeiro entender onde está o alvo!

O que espera a sociedade brasileira do órgão responsável por repor o direito e garantir a Justiça? (Vou tentar!)

- Eficácia (não pode tardar, senão falha)

Com o objetivo estratégico claro, deveríamos partir para as perguntas essenciais:

- como faremos, com quem faremos e quando ocorrerá?

O fenômeno humano das massas imposto a quase tudo que existe no planeta não pode ser desprezado por qualquer “ player” – ser humano ou organização humana (conceito amplo de organização, uma organização pode ser uma comunidade de 2 vizinhos ou países inteiros) – desta forma temos que entender qual o objetivo?, quais recursos – humanos e materiais – ? qual o processo – como – ? e em que tempo – quando - ? pretendemos ter esses objetivos alcançados.

Não há outra forma de medir eficácia que não através de um processo claro.

O fenômeno jurídico brasileiro precisa de lideranças que deveriam ser eleitas, de forma a permitir que a sociedade tenha de quem cobrar os caminhos e descaminhos adotados.

Esses Líderes eleitos seriam, nos limites da lei, responsáveis pela definição do papel e dos princípios norteadores de todas as atividades de cada um dos atores envolvidos no processo de Consecução da Justiça.

Tenho convicção que os meios e o material humano estão disponíveis para obter eficácia no fenômeno jurídico brasileiro.

A pergunta é.......

- A SOCIEDADE ORGANIZADA BRASILEIRA DESEJA UMA SOCIEDADE JUSTA?

A PARTE NÃO ORGANIZADA DA SOCIEDADE BRASILEIRA TENHO CERTEZA QUE SIM!

Autor: Lucas Testini de Mello Miller

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Vigência da LGPD: necessitamos de prorrogação ou devemos tomar vergonha na cara?

November 8, 2019

1/10
Please reload

boletim antaq

BOLETIM ANTAQ - 9º EDIÇÃO

26.9.2019

1/10
Please reload

© 2018 por Advocacia Ruy de Mello Miller.